Espaço Griô

Tem por objetivo qualificar o que já ocorre hoje com a residência artística do artista plástico, morador da comunidade, Paulo Montiel, que utiliza o espaço do ponto de cultura como seu atelier, onde guarda, também, a maioria de suas obras de motivos de Orixás, festas e outras simbologias afro. Esta proposta de um novo projeto vai procurar estabelecer um maior contato com seu conhecimento, projetando conversas, organização de seu acervo e a construção de dois tambores de Sopapo – em formato de oficina -, com a participação de griôs convidados. Paulo Montiel utiliza hoje, principalmente, o Ventre Livre como espaço terapêutico, pois em 2008 sofreu um acidente que o deixou em coma, e as suas atividades no ponto estão lentamente fazendo parte da recuperação de um artista que é amplamente reconhecido pelos povos de terreiro do Rio Grande do Sul e da Bahia.

batista
Mestre Baptista
ze
Zé Baptista

Pretende-se também produzir 2 Tambores de Sopapo, instrumento enraizado na história da contribuição africana no Estado do Rio Grande do Sul – que motivou, inclusive, a produção de um longa-metragem (O Grande Tambor), disponível na internet (http://tambordesopapo.blogspot.com/), realizado pelo Coletivo Catarse, em parceria com os pontos de cultura Ventre Livre e Quilombo do Sopapo. A montagem dos tambores se dará em formato de oficina, quando se explicará o Método Baptista de produção, desenvolvido pelo luthier Mestre Baptista (in memorian) desde meados da década de 1990, quando o tambor praticamente se encontrava extinto. Durante essas oficinas, haverá a presença de outros griôs que também compartilharão os seus conhecimentos.

Enfim, este projeto apresenta-se numa proposta de interligação de conhecimentos, permitindo uma organização efetiva de atividades que durante um bom tempo já ocorriam dentro do ponto de cultura e agregando novos aspectos e metodologias de produção e compartilhamento de saberes.

Anúncios